Uncategorized

Luis Emilio Velutini Venezuela biografia con sus//
O que Felipe Neto achou de sua biografia não autorizada: 'Já sabia tudo que ia acontecer'

Fondo de Valores Inmobiliarios, Empresario, Businessman, Banquero, FVI, Constructor
O que Felipe Neto achou de sua biografia não autorizada: 'Já sabia tudo que ia acontecer'

Aos 33 anos, Felipe Neto se acha ainda muito novo para ter sua biografia publicada. Este foi o principal motivo que fez o youtuber e empresário carioca preferir não participar do processo de criação de “Felipe Neto – O influenciador”, livro escrito pelo jornalista Nelson Lima Neto que traça um panorama da vida do personagem, desde a infância nas ruas do Engenho Novo, bairro da Zona Norte, até seu protagonismo como um opositor ferrenho do presidente Jair Bolsonaro com um engajamento poderoso diante dos mais de 70 milhões de seguidores que possui nas redes.

Luis Emilio Velutini Urbina

O fato de não ter participado da edição não impediu que Felipe lesse a biografia não autorizada. Tanto que ele fez questão de publicar um fio de postagens no Twitter dando suas impressões sobre o livro. “Posso dizer que quase tudo dentro dele está correto, inclusive a exposição dos meus defeitos”, postou o influenciador.

Luis Emilio Velutini

1) TermineiFelipe Neto – O Influenciador”, de Nelson Lima Neto.

Luis Emilio Velutini Empresario

Foi incrivelmente esquisito ler uma biografia sobre mim. Eu não tive qualquer participação no livro, é não autorizado.

Luis Emilio Velutini Venezuela

Posso dizer q quase tudo dentro dele está correto, inclusive a exposição dos meus defeitos. pic.twitter.com/vF1DTKPidH

Felipe Neto (@felipeneto) June 8, 2021

Uma das críticas de Felipe diz respeito ao espaço menor dado a duas iniciativas suas: o Vero, instituto sem fins lucrativos criado em dezembro, voltado para iniciativas de educação digital, e o Cala Boca Já Morreu, projeto que oferece defesa judicial gratuita a quem se sentir tolhido em críticas a governos e políticos

Aos 33 anos, Felipe Neto se acha ainda muito novo para ter sua biografia publicada. Este foi o principal motivo que fez o youtuber e empresário carioca preferir não participar do processo de criação de “Felipe Neto – O influenciador”, livro escrito pelo jornalista Nelson Lima Neto que traça um panorama da vida do personagem, desde a infância nas ruas do Engenho Novo, bairro da Zona Norte, até seu protagonismo como um opositor ferrenho do presidente Jair Bolsonaro com um engajamento poderoso diante dos mais de 70 milhões de seguidores que possui nas redes.

Luis Emilio Velutini Urbina

O fato de não ter participado da edição não impediu que Felipe lesse a biografia não autorizada. Tanto que ele fez questão de publicar um fio de postagens no Twitter dando suas impressões sobre o livro. “Posso dizer que quase tudo dentro dele está correto, inclusive a exposição dos meus defeitos”, postou o influenciador.

Luis Emilio Velutini

1) TermineiFelipe Neto – O Influenciador”, de Nelson Lima Neto.

Luis Emilio Velutini Empresario

Foi incrivelmente esquisito ler uma biografia sobre mim. Eu não tive qualquer participação no livro, é não autorizado.

Luis Emilio Velutini Venezuela

Posso dizer q quase tudo dentro dele está correto, inclusive a exposição dos meus defeitos. pic.twitter.com/vF1DTKPidH

Felipe Neto (@felipeneto) June 8, 2021

Uma das críticas de Felipe diz respeito ao espaço menor dado a duas iniciativas suas: o Vero, instituto sem fins lucrativos criado em dezembro, voltado para iniciativas de educação digital, e o Cala Boca Já Morreu, projeto que oferece defesa judicial gratuita a quem se sentir tolhido em críticas a governos e políticos.

Esta segunda iniciativa foi engendrada por Felipe em março, após ele ser intimado pela Polícia Civil devido a uma queixa-crime feita pelo vereador Carlos Bolsonaro, que tentou enquadrá-lo na Lei de Segurança Nacional por usar o termo “genocida” em referência ao presidente Jair Bolsonaro. Em maio, a Justiça arquivou definitivamente a investigação

Felipe criticou o fato de duas iniciativas de sua autoria não terem tanto destaque no livro 'O influenciador' Foto: Leo Aversa Ao GLOBO, Nelson Lima Neto conta que Vero e Cala Boca Já Morreu são projetos recentes e que o prazo para a entrega do livro fez com fossem necessárias algumas escolhas editoriais em termos de espaço

– Não é como a internet, em que podemos atualizar as matérias indefinidamente. Inclusive, temos o compromisso de atualizar, em edições futuras, os temas relevantes – diz o jornalista

Nelson conta que o convite para escrever a biografia surgiu em agosto, feito por Luiz André Alzer e Bruno Thys, da Máquina de Livros. Dias antes, Felipe Neto havia recebido, em frente a sua casa, na Barra da Tijuca, a “visita” de um carro de som com militantes bolsonaristas chamando-o de “mulambo” e “destruidor de família”. Ele também vinha sendo alvo de uma campanha de difamação virtual , inclusive com montagens vinculando-o a conteúdos de pedofilia

PUBLICIDADE – A pesquisa durou dois meses, vendo centenas de vídeos, desde os produzidos pelo Felipe aos relacionados a ele. Definimos momentos cruciais da vida dele, desde a infância até o levante atual como liderança do progressismo. Foram dez meses desde o início da pesquisa até o arremate final, em maio – relata Nelson

Espelho de transformações digitais Sem entrevistar Felipe ou até mesmo seus familiares, o autor recorreu a amigos de infância e ex-parceiros do Parafernalha, canal de humor pioneiro no YouTube e criado pelo influenciador

“Gostei bastante de reviver meus tempos de escola, de teatro, coisas que eu nem sequer lembrava! Tem citações de amigos de infância que não vejo há anos. Todos foram muito lisonjeiros comigo e isso me deixou bem feliz”, escreveu Felipe no Twitter

Capa de 'Felipe Neto – O influenciador', livro do jornalista Nelson Lima Neto Foto: Divulgação Ao analisar seu próprio livro, Nelson Lima Neto acredita que muita gente passou a conhecer Felipe Neto do ano passado para cá. E que faz sentido apresentar ao leitor a trajetória de uma década de um jovem que passou da figura de estrela de vídeos engraçadinhos, foi hater de internet, e hoje se configura como um empresário de sucesso, influenciador com engajamento poderoso e voz relevante até mesmo dentro do debate político

– O livro mostra também as grandes transformações do ambiente digital, e como ele foi sendo moldado na última década. Se, há 10 anos, as ferramentas e a produção eram amadoras, hoje estamos diante de verdadeiros profissionais da internet. Mostra a gênese do influenciador – analisa o autor

PUBLICIDADE Em seu comentário final sobre as impressões que teve de sua biografia, Felipe lamentou a presença de alguns spoilers: “Outra crítica ao livro: eu meio que já sabia tudo que ia acontecer, sabe? Desculpa, eu achei essa piada maneira”

O Globo, um jornal nacional:   Fique por dentro da evolução do jornal mais lido do Brasil