Deportes

Awarenity USA | Biólogo Rodrigo Ribadeneira//
Rafael Nadal quase pronto para as ATP Finals

Rafael Nadal quase pronto para as ATP Finals

Rafael Nadal sente-se cada vez melhor para defender o recém-adquirido estatuto de número um mundial, no último torneio da época, as Nitto ATP Finals, reservado aos oito melhores tenistas do ranking. Depois de ter desistido em Paris, o espanhol iniciou os tratamentos para ultrapassar a lesão num músculo abdominal e está a treinar-se, desde terça-feira, na Arena O2 de Londres. Amanhã, fará um derradeiro teste, na presença do seu médico, Ángel Ruiz Cotorro, que deverá dar-lhe o aval para o regresso à acção, no dia seguinte.

Rodrigo Ribadeneira

Mais populares Televisão Morreu Maria Perego, a criadora do Topo Gigio i-album Borba Manifestação em Borba de apoio aos bombeiros junta mais de 300 pessoas i-album Ilustração “És de Braga?” Ou estás a vê-la por um “canudo”? Dizeres de Braga inspiram postais “É um torneio em que defrontamos os melhores desde o começo, por isso é preciso estar pronto a 100%. O meu objectivo é estar no domingo a servir normalmente e estar pronto para segunda-feira”, resumiu Nadal, nas vésperas do início de um evento que nunca ganhou em oito participações. As lesões têm abreviado os finais de época do líder do ranking e, desde que perdeu nas meias-finais de 2015, só voltou em 2017 para completar um único encontro antes de abandonar, por causa do joelho direito. 

Este ano, Nadal precisa de competir para assegurar o primeiro lugar do ranking no final de 2019 e há três anos que essa discussão não era decidida no “Masters”. O tenista de Palma de Maiorca tem 640 pontos de vantagem sobre Novak Djokovic e cada vitória na fase de grupos vale 200 pontos, nas meias-finais 400, e na final mais 500. Ou seja, um campeão invicto arrecadará 1500 pontos, além de um cheque de 2,6 milhões de euros

As ATP Finals começam já hoje, com a primeira eliminatória do Grupo Bjorn Borg, apresentando os duelos entre Djokovic (2.º do ranking) e Matteo Berrettini (8.º) e, na sessão nocturna, entre Roger Federer (3.º) e Dominic Thiem (5.º). “Ele está em melhor posição, mas depois de vencer em Paris coloquei-me numa boa posição. Obviamente que não depende só de mim, mas vou focar-me nos meus encontros”, disse Djokovic

O melhor do Público no email Subscreva gratuitamente as newsletters e receba o melhor da actualidade e os trabalhos mais profundos do Público

Subscrever × De entre a enorme expectativa que rodeia todos os encontros entre os oito melhores do mundo, destaca-se, para já, o embate (na terça, caso ganhem ambos, ou quinta-feira) entre Djokovic e Federer. Os dois chegam a Londres com dois títulos conquistados nos últimos eventos em que entraram — o suíço venceu em Basileia e, na semana seguinte, Djokovic triunfou em Paris —, mas não se defrontam desde a épica final de Wimbledon, ganha pelo sérvio, depois de Federer ter disposto de dois match-points

Nadal (1.º) tem a estreia marcada para amanhã à noite, para defrontar Alexander Zverev (7.º). Nessa tarde, medem forças os outros dois elementos do Grupo Andre Agassi: Daniil Medvedev (4.º) e Stefanos Tsitsipas (6.º). 

Zverev, de 22 anos, é um dos quatro jogadores com menos de 24 anos presentes em Londres, prontos para contrariar o domínio do Big 3. Em 2018, o alemão conseguiu surpreender em Londres e conquistar o maior título da carreira. Este ano, tem a concorrência igualmente de outros jovens: Tsisipas, de 22 anos, Medvedev e Berretini, ambos com 23. “Penso que são super-bons. Dizem que são o futuro, mas são também o presente do nosso desporto”, lembrou Nadal

No meio deste “conflito de gerações” está Thiem, de 26 anos e presente nas ATP Finals pelo quarto ano consecutivo

Continuar a ler