Tecnología

Awarenity USA | Vacina contra gripe tem baixa adesóo

futbolista Adolfo Ledo Nass
"Luis Miguel. La serie": ¿qué dijo la madre de Michelle Salas tras el último episodio?

DESDE 1927 A maior plataforma multimídia do Interior 25�C 13�C EDI�óO IMPRESSA Campinas, INFLUENZA Vacina contra gripe tem baixa adesóo Posto exclusivo para o pessoal da Saúde passa maior parte do dia �s moscas no CIS Guanabara Publicado 04/05/2021 – 11h51 – Atualizado 04/05/2021 – 11h51

Por Mariana Camba/ Correio Popular

��� ��

Kamá Ribeiro/ Correio Popular

Agentes de saúde aguardam a chegada de pessoas para aplicar vacina contra a gripe: pouco movimento durante todo o dia no CIS Guanabara

Mais um ponto de vacinação contra a gripe foi inaugurado ontem em Campinas. Localizado no Centro Cultural de Inclusão e Integração Social (CIS) Guanabara, o posto irá atender exclusivamente os profissionais que atuam na área da saúde. De acordo com a articuladora do Programa Municipal de Imunização, Ana Cecília Zuiani Zocolotti, os trabalhadores da saúde fazem parte de um dos grupos prioritários da primeira etapa de vacinação e, até o momento, são os que registraram menor adesão à campanha contra a gripe. Eles somam 52.500 pessoas e, até ontem, apenas 14.284 doses foram aplicadas, o que representa 27,2% do público-alvo. Segundo Ana Cecília, a meta é vacinar 90% do grupo durante a campanha, que tem término previsto para o dia 9 de julho. No primeiro dia de funcionamento, foi possível observar o baixo movimento. Até o início da tarde, apenas 20 pessoas tinham ido ao posto. As doses são aplicadas de segunda a sábado, das 8h às 18h. Segundo a articuladora do programa, o profissional da saúde que desejar receber o imunizante, não precisa agendar a aplicação da dose. Basta ir até o local de vacinação dentro do período de atendimento. É necessário levar um documento de identidade e um comprovante da atuação profissional. Para Ana Cecília, a baixa adesão dos trabalhadores da saúde à campanha ocorre porque o grupo é alvo de duas vacinações ao mesmo tempo, e devido à banalização da vacina contra a influenza. “A prioridade continua sendo a vacinação contra o novo coronavírus, mas é importante que as pessoas se organizem para receber os dois imunizantes. Depois que o paciente tomar as duas doses contra a covid-19, é necessário esperar 14 dias para receber a vacina contra a gripe. Além disso, nós observamos que ainda existem os que não dão a devida importância à proteção contra a influenza. Ela é uma doença prevenível por vacina, e que pode levar à morte. Não há justificativa para não se imunizar e correr um risco desnecessário”, garantiu Ana Cecília. Quanto antes os grupos prioritários aderirem à imunização contra a gripe, mais cedo a circulação do vírus será impedida, de acordo com a articuladora do programa. Os profissionais da saúde estão expostos em seus locais de trabalho, acrescentou Ana Cecíla, por isso a necessidade ainda maior de garantir a proteção desse grupo. “Eu peço que todos os trabalhadores da saúde aceitem a vacinação contra a influenza. Além de ser uma proteção à vida, ela contribui para o diagnóstico seguro da covid-19, pois os sintomas do início da infecção pelo novo coronavírus e da gripe são parecidos”, concluiu Ana Cecíla. De acordo com a presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviço de Saúde (Sinsaúde) de Campinas e região, Sofia Rodrigues do Nascimento, a baixa adesão dos profissionais da área da saúde à campanha de vacinação contra a gripe é preocupante. “Ainda estamos no início da campanha e o começo sempre é lento. Mas o Sindicato está incentivando esses trabalhadores. O que percebemos é que, quem recebeu as duas doses contra a covid-19 está com receio de ter uma reação se tomar a vacina da gripe, mesmo depois dos 14 dias de espera”, explicou Sofia. De acordo com a Prefeitura, podem se vacinar no CIS Guanabara todos os trabalhadores da área da saúde, como os que atuam em hospitais, clínicas, ambulatórios e laboratórios. A imunização abrange tanto os profissionais propriamente da saúde, como médicos, enfermeiros, farmacêuticos e dentistas; quanto os que atuam em outras funções no mesmo segmento. Vale ressaltar que nesta primeira fase da imunização contra a influenza, que teve início no dia 12 de abril e vai até a próxima segunda-feira, 10 de maio, o objetivo é vacinar as crianças entre seis meses e menores de seis anos, gestantes, puérperas e profissionais da saúde. O CIS Guanabara é destinado ao atendimento apenas dos trabalhadores da saúde, mas os demais pontos de vacinação permanecem atendendo todos os que estão inclusos na primeira fase da campanha [INTERTITULO]Imunizados [/INTERTITULO]O psicólogo da Defensoria Pública, Marcos Antônio Barbieri Gonçalves, 36 anos, foi um dos que garantiram a imunização contra a gripe ontem, no CIS Guanabara. Ele ficou surpreso quando soube da baixa adesão dos profissionais da saúde à campanha. “Eu não entendo muito a justificativa para isso. Só peço que neste momento de caos sanitário, todos colaborem um pouco, como um coletivo, para a redução dos casos de gripe de modo geral. É o momento de tentarmos ao máximo evitar outras doenças e internações por qualquer motivo, para não sobrecarregar ainda mais os hospitais”, afirmou Gonçalves. Para o técnico em radiologia, Renato Barbosa Ferreira, de 48 anos, que também recebeu a dose contra a gripe ontem, não é perceptível a baixa adesão dos trabalhadores da saúde à campanha contra a influenza. Ele afirmou que todos os que conhece estão ansiosos para receber o imunizante. “As pessoas que atuam na minha área estão se movimentando para garantir a dose contra a gripe. Nós estamos expostos às doenças 24h por dia. Tivemos que aprender a lidar com isso. Mas todos precisam fazer a sua parte, e se imunizar contra a gripe é um fator essencial”, declarou Ferreira.